Política

Lava-Jato: Lula é condenado a 9 anos e meio de prisão

 

 

Lava-Jato: Lula é condenado a 9 anos e meio de prisão

Se a condenação for confirmada pelo TRF, Lula poderá ser preso e ficar inelegível. Em média, o tribunal demora 18 meses para analisar as sentenças de Moro

O depoimento de quase cinco horas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz Sergio Moro ocorreu em maio deste ano.

ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado, nesta quarta-feira (12), a 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá. Apesar da decisão, Sérgio Moro não solicitou a prisão preventiva de Lula. “Poderá o ex-Presidente apresentar a sua apelação em liberdade", escreveu o juiz em sua sentença.

Na ação, Lula é acusado de ter se beneficiado de dinheiro desviado da Petrobras na compra e reforma do tríplex no Guarujá, assim como no transporte de seu acervo presidencial após a saída do Planalto. A sentença do juiz Sergio Moro é a primeira contra o petista no âmbito da Lava-Jato.

"A culpabilidade é elevada. O condenado recebeu vantagem indevida em decorrência do cargo de Presidente da República, ou seja, de mandatário maior. Isso sem olvidar que o crime se insere em um contexto mais amplo, de um esquema de corrupção sistêmica na Petrobras e de uma relação espúria entre ele o Grupo OAS", destaca Moro.

Ainda na decisão, o juiz pontuou que "a prisão cautelar de um ex-Presidente da República não deixa de envolver certos traumas", estabelecendo, portanto, que Lula poderá apelar em liberdade. A apelação, inclusive, será julgada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que, se manter a decisão de Moro, tornará Lula inelegível para as eleições de 2018.

Os benefícios teriam sido pagos pela empreiteira OAS, em troca de contratos com a estatal. Moro, porém, absolveu o ex-presidente no caso do armazenamento e transporte do acervo presidencial. Ainda cabe recurso da decisão.

O ex-presidente, que sempre negou as acusações, ainda responde a outras quatro ações na Lava Jato, uma delas conduzida por Moro e outras três na Justiça Federal de Brasília. O petista ainda não foi sentenciado em nenhuma delas.

Na última pesquisa Datafolha, de junho, Lula, que vem afirmando que será candidato em 2018, aparece em primeiro lugar nas intenções de voto.

Caso a condenação seja confirmada em segunda instância, pelo TRF (Tribunal Regional Federal), Lula poderá ser preso e pode ficar inelegível. Em média, o tribunal leva cerca de 18 meses para analisar as sentenças de Moro. 

Os advogados de Lula ainda não se manifestaram sobre a sentença. Eles vêm argumentando que a ação contra o petista é uma perseguição judicial por parte do Ministério Público Federal e da Lava Jato.

Segundo a defesa, a OAS "não tinha como ceder a propriedade" ou prometer a posse do imóvel ao ex-presidente. O advogado Cristiano Zanin Martins afirma que a empreiteira transferiu os direitos econômicos e financeiros do tríplex a partir de 2010 para um fundo gerido pela Caixa Econômica -o que invalidaria a acusação do Ministério Público Federal.

Em depoimento a Moro, Lula declarou que não é dono do apartamento no Guarujá, que desistiu da compra do imóvel e que, por isso, não há como acusá-lo de ter recebido vantagens. Para a defesa, a acusação se baseia em um "castelo teórico", e a análise "racional, objetiva e imparcial das provas" leva exclusivamente à absolvição do ex-presidente.

 

"Não existe crise econômica no Brasil", diz Michel Temer, em Hamburgo

 

 

"Não existe crise econômica no Brasil", diz Michel Temer, em Hamburgo

O presidente Michel Temer negou que exista crise econômica no País. "Crise econômica no Brasil não existe. Vocês têm visto os últimos dados", disse nesta sexta-feira (7), ao chegar ao hotel Le Meridien, em Hamburgo, para participar da reunião da cúpula de líderes das 20 maiores economias do mundo, o G-20

Quando os jornalistas que o aguardavam na frente do hotel às 6 horas da manhã no horário local (1 hora de Brasília) reforçaram a pergunta sobre o desempenho da atividade, questionando se não existia realmente uma crise econômica no País, Temer enfatizou: "Não, não. Pode levantar os dados e você verá que estamos crescendo no emprego, estamos crescendo na indústria, estamos crescendo no agronegócio. Lá não existe crise econômica", disse.

Quando questionado sobre se a crise política atrapalhava o andamento da economia, o presidente já estava se dirigindo para dentro do hotel, mas virou o rosto para os jornalistas e disse "não", reforçando a negativa com o dedo. 

Ao chegar ao local, Temer disse que estava preparado para participar da reunião dos Brics (reunião dos emergentes Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), que, segundo ele, visa ao desenvolvimento dos cinco países. "E de alguma maneira participar desta grande reunião, que é o G-20. Certamente, alguns temas fundamentais para os países componentes do grupo serão debatidos, entre eles, o meio ambiente."

Aécio Neves retoma mandato e chega ao Senado para reunião do PSDB

 

 

Aécio Neves retoma mandato e chega ao Senado para reunião do PSDB

O tucano esteve afastado por 46 dias por determinação do ministro Edson Fachin, após ser acusado de corrupção passiva e obstrução de Justiça

Após mais de um mês fora, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) chegou por volta de 13h50 na tarde desta terça-feira (4) ao Senado Federal para participar da reunião da bancada com o presidente interino do partido, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). Esta é a primeira vez que Aécio volta ao Congresso Nacional desde a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), de restabelecer o seu mandato, na semana passada.

Durante reunião da bancada, será definida a situação de Aécio no comando do partido. Embora correntes do partido ligadas aos deputados e aos tucanos de São Paulo defendam seu afastamento definitivo da presidência do partido, Aécio quer ganhar tempo até passar a votação do recurso pedindo a cassação de seu mandato no Conselho de Ética do Senado e a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, na Câmara, para que a decisão seja tomada.

No período da tarde, Aécio usará o horário reservado ao PSDB na tribuna do plenário da Casa para fazer um pronunciamento para se defender das acusações que pesam contra ele, baseadas em gravações entre ele e o empresário Joesley Batista, dono da JBS, que fazem parte de um acordo de delação premiada. O senador não deve, entretanto, fazer críticas à Procuradoria-Geral da República (PGR), que o denunciou e pediu seu afastamento e sua prisão.

O tucano esteve afastado por 46 dias por determinação do ministro Edson Fachin, após ser acusado de corrupção passiva e obstrução de Justiça.

Eunício Oliveira assume oficialmente Presidência do Brasil por três dias

 

 

Eunício Oliveira assume oficialmente Presidência do Brasil por três dias

O presidente do Senado, Eunício Oliveira, oficialmente, é o Presidente do Brasil por três dias, de forma interina. Michel Temer viajou no início da tarde desta quinta-feira

Na cadeira do Planalto, Eunício autorizou a liberação de recursos para a construção de duas adutoras no Ceará, em Boa Viagem e Madalena.

“Assumo neste momento a Presidência da República Federativa do Brasil, de forma interina, com a mesma responsabilidade com que tenho pautado toda a minha trajetória de cidadão e de homem público, tendo a democracia como norte e o espírito público voltado para a promoção da cidadania”, disse Eunício.

Governistas consideram Capitão Wagner o candidato ao governo pelas oposições em 2018

 

 

Governistas consideram Capitão Wagner o candidato ao governo pelas oposições em 2018

Mesa de deputados estaduais e federais no Ideal Clube chegou ao consenso no qual o deputado capitão Wagner será o candidato da coligação PSDB-PMDB-PMN-PR-SD.

Jovem, limpo, conhecedor da máquina pública e carismático, na versão dos parlamentares ele tem ainda o discurso de combate à violência e contra os traficantes de drogas.

Anuncio BannerLateral

 

 

logo-2x

Logo Unimed Sobral

 infort